Inicial | Postagens RSS | Comentários RSS | Editar

Soneto Sem a Letra 'A'

quinta-feira, 6 de setembro de 2007

('Stairway to Paradise' - Thomas Kinkade)



SONETO SEM A LETRA 'A'
(Firmino Figueiredo)
.
Se soubesses querer como eu te quero,
se sofresses por mim o que hei sofrido!
Louco, louco por ti tenho vivido!
Por teus olhos jurei culto sincero!

Desse enlevo febril sedento espero
cobiçoso porvir enriquecido,
pelos dotes gentis que tens colhido
nos tesouros do céu, justo e severo.

Vem, oh! Vem, que meu peito se embevece
no perfume dum colo terno, insonte,
onde vive o poder que me enlouquece.

Se és o doce licor de tênue fonte,
se és um golpe de sol que me entontece,
és do cego, sem luz, novo horizonte!
.
.
.

9 comentário(s) to Soneto Sem a Letra 'A':

Osc@r Luiz disse...

Minha Tia Lygia Simões Lopes da Silva, falecida tem 46 Sonetos sem a letra "A".
Já publiquei dois deles no Flainando na Web e aos poucos vou continuar publicando em doses homeopáticas.
Grande abraço, meu amigo!

L. disse...

Pobre letra "A", rapaz!
Que bom encontrar mais um poeta por este mundo de blogs.
Gostei bastante de sua poesia.
=]
Também escrevo, dá uma olhada no meu blog.

Passarei aqui mais vezes, abraço.

Vieira Calado disse...

Também, às vezes, cultivo o soneto.
Infelizmente, alguns poetas ditos modernos monosprezam-no.
Gostei do seu. Um abraço.

Márcia Sanchez Luz disse...

André, boa tarde!

Obrigada por me visitar em 'O Imaginário'... e por suas palavras!!
Estou emocionada, na verdade encantada...

Grande abraço em você também,
Márcia

Rita Costa 'Alma de Poesia' disse...

Maravilhoso esse soneto André.
Encantada! Além de talentoso seu bom gosto pra poesia é inegável meu doce poeta.
Beijussssssssssssssss

rebloggando-requeri disse...

adorável ... desde a gravura do tkinkade, até tudo ... tudo ... beijo.

joão marcos disse...

esse
poema e incrivel.muito bom



http://www.mundosubliminar.xpg.com.br
http://www.solendasurbanas.xpg.com.br

JLM disse...

olá, realmente este exercício de escrita é bastante curioso, tanto é que eu senti-me estimulado a fazer algo parecido, embora em prosa: http://www.jefferson.blog.br/2010/05/texto-sem.html

1 abraço

Anônimo disse...

Em 1951, meu namorado (depois meu marido), ofereceu-me esse lindo poema, que havia sido publicado num jornal de Mogi Mirim. Guardei-o por muitos anos, mas acabei por perdê-lo, nas sucessivas voltas que o mundo dá. Lembrei-me dele e resolvi procurá-lo neste repositório de sonhos e recordações e fiquei felicíssima por reencontrá-lo. Quantas emoções ele me invoca! OBRIGADA!!!!!!

Postar um comentário